O vice premier e ministro do Interior da Itália, Matteo Salvini, envolveu-se em uma polêmica ao participar da festa pelos 50 anos da Curva Sud, torcida organizada do Milan

O evento aconteceu no último domingo (17), na Arena Civica de Milão, na Itália . A festa reuniu torcedores e dirigentes, entre eles Luca Lucci, ex-líder da torcida com diversas passagens pela polícia, entre elas tráfico de drogas.

Durante a festa, o fotógrafo Matteo Bazzi flagrou uma conversa entre Salvini e Lucci, o que provocou a polêmica no país. O ministro é torcedor declarado do Milan e se defendeu da seguinte maneira. “Eu mesmo sou um investigado. Sou um investigado no meio de outros investigados”, disse Salvini, tentando evitar as críticas. “Eu torço pelo correto, pelo futebol colorido”.

Líder do partido direitista, a Liga, Salvini é autor de um projeto que quer taxar os clubes italianos em 5% ou 10% dos lucros das partidas para custear as forças de segurança nos estádios.

“Quem paga? Nós, vocês. Não é justo que os cidadãos italianos paguem por isso. Os clubes desembolsam milhões de euros aos jogadores e não têm um patrimônio suficiente para contribuir com a segurança?”, questionou.

Salvini tem grande popularidade no país pela intensa presença em redes sociais. Com cinco milhões de seguidores no Facebook, Instagram e Twitter, frequentemente ele está entre os assuntos mais comentados.

Para entender a dimensão de sua popularidade, uma pesquisa realizada pelo jornal La Repubblica apontou que 58% dos entrevistados enxergam Salvini como o verdadeiro líder do governo, atrás do próprio primeiro-ministro Giuseppe Conte.

Muitos jornais italianos ressaltaram que os membros da Curva Sud têm ligações obscuras. Além de Lucci, outro líder da organizada, Giancarlo Lombardi, já foi preso por tentativa de extorsão para obter ingressos gratuitos ou mais baratos para todos os membros do organizada.

As torcidas organizadas da Itália são muito conhecidas pela violência fora dos estádios e atos discriminatórios.

(iG Esporte)