Iniciativa tem como intuito impedir que pessoas transitem em linha ferroviária

A fim de impedir incursões de dependentes químicos nas linhas de trem em uma zona periférica da cidade, a Prefeitura de Milão, na Itália, está construindo um muro de quatro metros de altura. A construção fica no bairro de Rogoredo, localizado no extremo-sudeste da metrópole. O bairro é considerado uma das maiores áreas de tráfico ilegal de toda a Europa.

Com cerca de 600 metros de extensão, o muro está quase finalizado. Há meses a presença de policiais na região é constante, com operações periódicas no chamado “Bosquecito”. Contudo, mesmo com a construção do muro se aproximando do fim, a região continua reunindo centenas de usuários provenientes de toda a Lombardia e de outras regiões.

“Aqui é uma tragédia. Basta olhar pela janela e se vê mais de 300 usuários passando todos os dias, alguns fisicamente debilitados, descalços e instáveis”, relatou um senhor que mora próximo à estação Rogoredo.

Segundo alguns policiais, o muro deve impedir viciados de caminharem sobre as vias de alta velocidade, em uma área com histórico de acidentes mortais. “Aqui as pessoas se dividem entre duas escolas de pensamento: quem se preocupa em ajudar os viciados e quem quer eliminar o problema da venda ilegal e ponto”, disse o padre Marco, pároco de Rogoredo.