Clube italiano ainda corre risco de não participar de competições da Uefa, caso não atinja equilíbrio financeiro até 2021

A fase do Milan está longe de ser boa. Após ser eliminado da Liga Europa, o clube italiano foi multado pela Uefa em 12 milhões de euros – o equivalente a cerca de R$ 53 milhões – por não cumprir regras do Fair Play financeiro (FFP) no triênio de 2014-17. E a punição ainda pode ser maior: caso não alcance equilíbrio financeiro até 30 de junho de 2021, será impedido de atuar nas competições da entidade nas temporadas 2022/23 e 2023/24.

Sem conseguir controlar seus gastos, o Milan também não poderá inscrever mais de 21 jogadores nos campeonatos da UEFA nos próximos dois anos. A instituição, no entanto, ainda pode ser recorrer na Corte Arbitral do Esporte (CAS).

Cumprir as regras do Fair Play Financeiro é pré-requisito para que os clubes obtenham licença da Uefa. O licenciamento foi implementado em 2003/04 e, em 2011, foram incluídas as normas de controle de gastos, que impedem os clubes de gastarem € 5 milhões além do que arrecadam por período de avaliação, que é de três anos.

O Milan não é o único que está com problemas com FFP. Segundo o jornal “L’Equipe”, o PSG cogita vender Neymar ou Mbappé para se reenquadrar às normas de licenciamento. O clube francês, porém, negou a possibilidade. O Manchester City é outro que descumpriu as regras da Uefa e, por isso, corre risco de ficar fora da Champions. (GE)