O médico italiano Tullio Simoncini, que usava bicarbonato de sódio para tratamentos contra o câncer, foi condenado nesta última segunda-feira (15) a cinco anos e seis meses de prisão por  homicídio culposo e exercício inadequado da profissão

Tullio Simoncini já tinha perdido sua licença de médico em 2006, mas continuava atuando na clandestinidade. Os juízes de Roma também sentenciaram Roberto Gandini, radiologista e colaborador de Tullio, a dois anos de prisão.

O paciente Luca Olivotto, 27 anos, da Catania , sofria de um tumor cerebral e foi submetido a um tratamento médico baseado em bicarbonato de sódio em 2012.

O paciente viajou para a Albânia, onde Simoncini trabalhava, mas morreu dois dias depois por alcalose metabólica (quando o ph do sangue está alterado), situação provocada pela concentração de bicarbonato. (ANSA)