O líder da extrema-direita na Itália e ministro do Interior do país, saudou a vitória de Jair Bolsonaro e afirmou que aguarda a extradição do ex-militante de esquerda Cesare Battisti, condenado por assassinato na Itália

“No Brasil os cidadãos expulsaram a esquerda! Bom trabalho para o presidente Bolsonaro, a amizade entre nossos povos e governo será ainda mais forte”, escreveu no Twitter. “E depois de anos de discursos vãos, pediria que reenvie para Itália o terrorista vermelho Battisti”, completou. Durante a campanha presidencial, Bolsonaro, eleito no domingo (28), se comprometeu a extraditar Battisti.

Caso Battisti

Cesare Battisti, 63 anos, foi condenado à prisão perpétua na Itália por quatro homicídios na década de 1970, dos quais se declara inocente. Passou quase 30 anos como fugitivo entre México e França, onde desenvolveu uma carreira de sucesso como escritor de livros policiais, antes de fugir para o Brasil em 2004.

Em 2010, a justiça autorizou a extradição para a Itália, mas o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva concedeu o estatuto de refugiado político. Nos últimos anos, Roma multiplicou os pedidos de extradição deste símbolo dos “anos de chumbo” na Itália.