Líderes tiveram uma conversa por telefone após troca de críticas

(ANSA) – Após dois dias de tensões pela crise imigratória, parece que Itália e França deram uma trégua. O primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte, e o presidente francês, Emmanuel Macron, tiveram uma longa conversa telefônica na noite passada (13) e confirmaram o encontro de amanhã (15), em Paris. Conte almoçará com Macron, ocasião em que discutirão posições a serem abordadas no Conselho Europeu no fim de junho. Os dois concordaram que são necessárias “novas iniciativas” para resolver a crise imigratória. “Para discutir esse tema e outros de interesse comum, confirmamos que o presidente da República e o primeiro-ministro se encontrarão amanhã, em Paris, para um almoço de trabalho seguido de uma coletiva de imprensa”, informou o Palácio do Eliseu.

Já de acordo com o Palácio Chigi, na ligação desta noite, Macron assegurou a Conte que “não disse nada para ofendera Itália e o povo italiano”. Macron argumentou que “sempre defendeu a necessidade de uma solidariedade europeia em relação à Itália”.

Conte também confirmou que Macron afirmara que “as frases sobre a Itália não são atribuídas a ele”. A tensão entre a Itália e a França começou no fim de semana, quando o novo governo italiano, com o ministro do Interior Matteo Salvini, do nacionalista Liga Norte, proibiu um barco com 629 imigrantes resgatados do Mar Mediterrâneo de atracar na Itália.

Macron, de acordo com a imprensa internacional, teria criticado a Itália, acusando-a de “cinismo” e “irresponsabilidade”. A declaração gerou mal-estar em Roma, que convocou o embaixador francês para consulta e cancelou uma reunião entre os ministros da Economia dos dois países na capital francesa. A Itália exigia desculpas formais da França.