Foi um final de semana turbulento em Macerata, província da Itália

No sábado (03), um homem disparou de um carro diversos tiros em direção a um grupo de imigrantes africanos. Após a confusão, seis pessoas ficaram feridas e um homem foi preso.

O motivo dos tiros ainda não está claro, mas a imprensa italiana especula que seria um possível acerto de contas por causa do assassinato de Pamela Mastroprieto, que levou um nigeriano à prisão. Na última quarta (31), o corpo da jovem de 18 anos foi encontrado desmembrado.

O autor dos disparos foi preso. Ele tem 28 anos e em 2017 concorreu pela antiga Liga Norte (atual Lega) em Corridonia. A polícia ainda procura pelos outros dois envolvidos que estariam dentro do carro na hora dos disparos.

No domingo (04), Silvio Berlusconi afirmou que hoje, na Itália, 600 mil imigrantes irregulares “são uma bomba social pronta para explodir, porque vivem de artimanhas e crimes”. A Liga vem sendo acusada de intensificar o ódio racial, que, afirmam os críticos, estimulam ataques como o tiroteio desferido contra imigrantes africanos no fim de semana.

Principal líder político da Lega, Matteo Salvini rebateu as acusações: “O ódio e a violência são instigados por aqueles que encheram a Itália de imigrantes ilegais. A Itália não é racista, mas tenho em mente um país em que as regras são respeitadas”, finalizou.