Contrato teria sido alcançado, mas falta o nome do premier

(ANSA)

Os líderes dos partidos vencedores das eleições legislativas italianas, Matteo Salvini, da Liga Norte, e Luigi di Maio, do Movimento 5 Estrelas (M5S), reuniram-se nesta quinta-feira (17), na tentativa de fechar um acordo de formação de um novo governo. Os termos do acordo têm sido negociado há dias pelas duas legendas, incluindo linhas que serão seguidas pelo governo de aliança, como imigração, segurança, economia e a permanência da Itália na zona do euro. O grande embate, porém, é o nome do futuro primeiro-ministro italiano. A previsão é que o contrato seja apresentado amanhã, mas que a discussão sobre o próximo primeiro-ministro dure até domingo.

“Fora desatados todos os nós sobre o contrato. Nos próximos dias, anunciaremos o premier”, disse Di Maio. Como nenhum dos partidos conseguiu formar a maioria no Parlamento após as eleições de março, a Liga Norte e o M5S, mesmo após trocarem farpas durante as campanhas, foram obrigados a se aliarem para conseguir governar. Salvini e Di Maio, até então cotados para primeiro-ministro, deram um passo para trás e buscam um nome que agrade às duas legendas. O nome que mais ganha força nas últimas horas é o do deputado Emilio Carelli, do M5S, jornalista da Sky e do grupo Mediaset na Itália. “Como sempre, estou à disposição do M5S e de Di Maio”, comentou. “Acho que, no fim da tarde, fechados o contrato”, disse o líder do M5S. Mas, ao ser questionado sobre o indicação a premier, Di Maio confessou o impasse: “Ainda estamos discutindo, não está nada certo”. A indecisão sobre o futuro político italiano tem gerado tensões nos mercados. Ontem, a Bolsa de Valores de Milão sofreu perdas de mais de 2%, e hoje opera com leve alta de 0,5%.

Além disso, não param de chegar advertências, em forma de comentários sutis, da União Europeia, para que o novo governo não faça promessas que não poderá cumprir ou que arrisque as contas públicas e os acordos já fechados com Bruzelas. “Não comentamos políticas de partidos ou processos de formação de governo, mas o que enfatizamos, em todo caso, é a importância de se ater à disciplina do balanço orçamentário, especialmente para a Itália continuar reduzindo o déficit e o débito, porque são fatores de risco”, disse Valdis Dombrovskis, da Comissão Europeia. Atualmente, o contrato entre M5S e Liga Norte tem 40 páginas, sendo que em nenhuma delas há menção sobre uma saída da zona do euro.