A Lazio foi condenada pela Federação Italiana de Futebol (FIGC) devido ao comportamento antissemita praticado em outubro do ano passado pelos “Ultras”, segmento da torcida conhecido por cantos racistas e comportamento violento

Jogadores da Lazio vestindo camisas contra o antissemitismo após o incidente ligado a sua torcida (Foto: Alberto Lingria/Reuters)

Fora a multa de 50 mil euros, a federação havia proposto também que a Lazio encarasse dois jogos com portões fechados, decisão que não foi acatada pelo tribunal. No entanto, a punição se estendeu também aos torcedores. Treze pessoas ligadas aos “Ultras” foram banidas de cinco a oito anos dos estádios de futebol.

O incidente aconteceu antes de uma partida contra o Cagliari pela Série A italiana, quando foram encontrados adesivos com a imagem de Anne Frank vestindo a camisa da Roma ao lado de slogans com os dizeres “Torcedores da Roma são judeus”. O material foi apreendido dentro do estádio Olímpico de Roma, no local destinado aos “Ultras” durante os jogos da Lazio.

Anne Frank se tornou uma das mais famosas vítimas judaicas do Holocausto depois que o diário de sua vida foi publicado em 1947. Ela morreu dois anos antes no campo de concentração de Bergen-Belsen quando tinha apenas 15 anos de idade. (GE)