As ações da Juventus fecharam na última sexta-feira (5) com uma queda de quase 10% nesta na Bolsa de Milão, enquanto cresce o mal-estar em torno de Cristiano Ronaldo, acusado de estupro nos Estados Unidos

As ações da Velha Senhora, que haviam disparado desde a chegada a Turim do atacante português, fecharam em queda de 9,92% a 1,19 euro, em um mercado em retrocesso de 1,29%.

O caso

A Polícia de Las Vegas anunciou na segunda-feira da semana passada (1) a abertura de uma investigação por conta da ação apresentada por Kathryn Mayorga, hoje com 34 anos. Ela afirma que Cristiano Ronaldo a forçou a fazer sexo anal em junho de 2009.

O jogador negou “firmemente” as acusações, afirmando que estupro é “um crime abominável”, mas seus principais patrocinadores começaram a manifestar sua preocupação – entre eles a Nike e a EA Sports (editora do videogame Fifa).

Cristiano Ronaldo não disputará nenhuma partida da seleção portuguesa nos próximos dois meses. Porém, em jogo realizada no último sábado contra a Udinese pela oitava rodada do italiano, CR7 marcou um dos dois gols da Juventus na vitória de 2×0 que confirmou o favoritismos do clube que segue com 100% de aproveitamento na competição.