Com o objetivo de criar um sistema autossustentável de baixo custo que possa ser reproduzido em todo o mundo, o italiano Sergio Gamberini desenvolveu uma tecnológica estrutura de estufas que se localizam no fundo do mar.

Funcionamento

O projeto funciona da seguinte forma: ervas aromáticas e alfaces, que se desenvolvem a cerca de oito metros de profundidade, são inseridas em balões estufas e utilizam a temperatura e a umidade praticamente constantes da água para auxiliar o seu crescimento. Durante esse processo ficam também imunes à seca, devido à condensação que se acumula nas paredes das estufas subaquáticas. Para as sementes de salsa, bastam apenas 48 horas para passarem a rebentos.

A ideia, que surgiu há cerca de seis anos, hoje é um projeto que envolve pai e filho e foi batizado de “Jardim de Nemo”. Já realidade Gênova, os balões estufas compõem um sistema em constante evolução onde a tecnologia tem um papel fundamental. (Com informações da Euronews)