O Tribunal de Recursos de Assis reduziu nesta quinta-feira (10) a 30 anos de prisão a pena do italiano Vincenzo Paduano, condenado à perpétua por ter estrangulado e carbonizado sua ex-namorada Sara Di Pietrantonio no dia 29 de maio de 2016, em Roma

“Vicenzo cometeu o mais hediondo dos crimes, devastado pelo ciúme. Condenaram, mas confiei na redução da punição”, afirmou a advogada de defesa do jovem de 26 anos.

Paduano foi sentenciado em primeira instância no dia 5 de maio de 2017 por homicídio doloso qualificado por premeditação e motivo fútil, perseguição, destruição de cadáver e incêndio de automóvel. O crime ocorreu no bairro de Magliana, na periferia de Roma, poucos dias depois de a vítima ter terminado um namoro de dois anos com o réu.

O corpo de Pietrantonio, que tinha 22 anos, foi encontrado próximo de seu carro, que também estava em chamas. O assassinato provocou revolta na Itália e, na ocasião, reacendeu o debate sobre o feminicídio. (Agência ANSA)