O crime ocorreu em 2016 e o italiano foi condenado agora a 30 anos

O tribunal de Florença condenou o italiano Mirco Alessi a 30 anos de cadeia pelo assassinatos da trans brasileira e de uma dominicana.

O crime aconteceu em junho de 2016 no apartamento da transexual, no centro histórico de Florença.

Segundo a Ansa, a Procuradoria havia solicitado prisão perpétua e isolamento diurno por dois anos.

Alessi mantinha um relacionamento com a brasileira, mas segundo ele, ela pedia dinheiro para manter o namoro escondido.

No dia 26 de junho do ano passado, Alessi entrou no apartamento da trans brasileira, conhecida como Kimberly, e matou ela e a amiga Cruz que também estava no apartamento.

Ele esfaqueou Kimberly 94 vezes e deu 18 facadas na amiga.

Outra dominicana, que dividia o apartamento com a brasileira, fugiu pulando pela janela do primeiro andar.

De acordo com a Ansa, além da prisão, Alessi foi condenado a pagar 200 mil euros a sobrevivente.