Briga com concorrente espanhol chegou até a União Europeia

(ANSA)

A Enel, companhia italiana de geração e distribuição de energia, aumentou novamente nesta quinta-feira (26) os termos de sua oferta pela AES Eletropaulo de R$28 para R$32 por ação, o que representa um preço de R$5,4 milhões.

A medida faz parte de uma batalha entre o grupo italiano e a empresa Neoenergia, da espanhola Iberdrola, para controlar a maior concessão de distribuição de eletricidade do Brasil.

Na proposta, a Enel também ofereceu cerca de 1,5 bilhão de aumento no capital no fim da negociação. O valor já havia sido anunciado no último dia 20 de abril.

A responsabilidade da oferta pública é da Enel Sudeste, filial da Enel Brasil. A ideia é comprar o sistema de distribuição de energia de São Paulo.

Em resposta à proposta da italiana, a Iberdrola também aumentou sua oferta de R$29,4 para R$32,10. No entanto, todos os outros termos apresentados no documento foram mantidos. A disputa fez com que a empresa espanhola enviasse uma carta formal à Comissão Europeia.

O grupo reclama da postura da italiana nas negociações, afirmando que a Enel não age conforme os critérios de mercado.

“A companhia italiana desfruta de uma situação regulatória de privilégio na Itália que assegura menor custo de capital, imunidade e renda gerada por monopólio que permitem decisões de investimento e posicionamentos chaves em temas regulatórios em vários mercados que não estão ao alcance de seus competidores”, diz a carta.

A Enel é uma das maiores empresas da Itália e 23,6% de suas ações estão nas mãos do Ministério de Economia e Finanças. Nos últimos anos, a companhia tem feito pesados investimentos nos setores de energia eólica e solar no Brasil.

De acordo com a diretora de assuntos europeus da Iberdrola, Eva Chamizo Llatas, a Enel está aproveitando sua condição de empresa pública na Itália para tentar influenciar o conselho da Eletropaulo e o órgão regulador (CVM) e intimidar os concorrentes.

Já a Comissão da UE “não comenta” a carta enviada, inclusive não confirmou se realmente a recebeu.

A Eletropaulo é considerada a maior concessão de distribuição de eletricidade do Brasil, enquanto que a Enel controla a geração de energia no Rio de Janeiro e no Ceará, além de boa presença em fontes renováveis. Já a Neoenergia opera na Bahia, Pernambuco, Riod Grande do Norte e no interior de São Paulo.