O documento que revisa as estimativas para o crescimento econômico deste ano foi aprovado pelo Conselho de Ministros

Foi aprovado neste sábado o Documento de Economia e Finança que revê a expectativa de crescimento econômico para a Itália neste ano.

O Conselho de Ministros da Itália que aprovou o documento para 2017 e para os próximos dois anos.

Segundo o documento o PIB irá crescer 1,5% este anos, diferente dos 1.1% que foi previsto em abril, mantendo o mesmo percentual para 2018 e 2019, segundo a Ansa.

 

“O quadro é positivo e nós temos números de crescimento mais altos e mais estáveis”, disse o premier, Paolo Gentiloni.

Segundo ele, os resultado “tornaram-se possíveis por conta das reformas aprovadas no governo [Matteo] Renzi e que nós continuamos”.

“Elas nos permitiram uma discussão com a União Europeia, que nos deram margens mais favoráveis em finanças públicas e que nos levarão a propor ao Parlamento uma lei de orçamento não depressiva, que não será um freio à tendência positiva da economia”, destacou o premier.

De acordo com a Ansa, Gentiloni destacou que o governo “precisa continuar na luta das despesas públicas assim como para as reformas”.

Também esteve presente o ministro da Economia, Pier Carlo Padoan, que afirmou que “alguns podem dizer que essa é uma previsão muito otimista, mas acredito que ela seja plenamente justificada pelas políticas que colocamos em prática”.