O Ministério Público de Milão inscreveu quatro indivíduos na lista de investigados pelo acidente ferroviário da última quinta-feira (25), que matou três pessoas e feriu outras 46 nos arredores da capital financeira da Itália

A lista é formada pelo CEO da Rete Ferroviaria Italiana, Maurizio Gentile, pelo diretor de produção da mesma empresa, Umberto Lebruto, pela CEO da Trenord, Cinzia Farisè, e pelo diretor operacional da companhia, Alberto Minoia.

Os dois grupos são responsáveis, respectivamente, pela gestão do sistema ferroviário da Itália e pela linha onde ocorreu o acidente. A hipótese da Procuradoria da República é de “desastre ferroviário culposo”, quando não há a intenção de cometer o crime, e “múltiplo homicídio culposo”.

Em breve, a Rete Ferroviaria Italiana e a Trenord também devem ser inscritas na lista de investigados. A tragédia ocorreu pouco antes das 7h da manhã (horário local), quando um trem com cerca de 350 passageiros, a maioria migrantes pendulares, descarrilou perto da estação de Pioltello e se chocou contra um poste de eletricidade.

O acidente matou três mulheres. Os investigadores encontraram uma peça de 23 centímetros solta do trilho e agora tentam descobrir se sua ausência causou o desastre ou se o descarrilamento fez com que o pedaço se desprendesse. (ANSA)