Polícia usará ‘tasers’ durante 3 meses em 12 cidades

(ANSA) – A polícia da Itália começou a fazer o uso experimental de pistolas de choque elétrico em 12 cidades do país e já recebeu diversos pedidos para ampliar o teste. Por essa razão, uma lei está sendo estudada para o instrumento ser usado também por agentes locais, informou o Ministério do Interior nesta quarta-feira (5).

A medida, promovida pelo vice-primeiro-ministro Matteo Salvini, é uma maneira de tentar reduzir a letalidade de ações policiais caso os agentes se encontrem em situações de resistência.

“É uma arma de dissuasão não-letal, e sua utilização é um importante fator dissuasivo, sobretudo para operadores de segurança que podem se encontrar em situações-limite”, disse Salvini, na ocasião. Os chamados “tasers” estão sendo testados nas cidades de Milão, Nápoles, Turim, Bolonha, Florença, Palermo, Gênova, Catânia, Pádua, Caserta, Reggio Emília e Brindisi. No final do período experimental, que tem duração de três meses, será feita uma avaliação sobre a eficácia do novo instrumento.

Se positivo, haverá ampliação para outras cidades. O decreto que autoriza o teste foi assinado em julho e prevê que, além do spray de pimenta e a arma tradicional, o teaser faça parte do arsenal policial.

Os testes são conduzidos pela Polícia de Estado, pela Arma dos Carabineiros e pela Guarda de Finanças. Nas últimas semanas, os agentes – exclusivamente dos departamentos que controlam o território – treinaram para usar um modelo de cor amarela.

As diretrizes emitidas pelo Departamento de Segurança Pública definem o objeto como “uma arma pessoal”, que usa impulsos elétricos para inibir os movimentos do sujeito afetado. A distância aconselhável para um tiro efetivo é de 3 a 7 metros.

A decisão de usar o taser foi tomada depois que um jovem foi morto pela polícia ao tentar agredir um agente. O equipamento também será usado pelo Vaticano na segurança do papa Francisco.