Polícia prendeu 15 suspeitos de terrorismo e tráfico humano

Nesta quarta-feira (8), as autoridades italianas cumpriram 15 mandados de prisão em várias partes do país contra suspeitos de terrorismo, imigração clandestina, contrabando e associação criminosa.

Os mandados foram executados nas províncias de Palermo, Trapani, Caltanissetta e Brescia. Os policiais dos R.O.S (Reagrupamento Operativo Especial) de Palermo descobriram que uma organização criminosa gerenciava viagens ilegais de imigrantes entre a Tunísia e a Itália. Um dos detidos foi um tunisiano, que fazia apologia e instigava o terrorismo, além de declarar apoio ao Estado Islâmico (EI) e divulgar fotos de decapitações nas redes sociais.

A investigação, coordenada pelas autoridades de Palermo, partiu com uma confissão feita por um outro tunisiano que dissera ter conhecimento de um “exército de suicidas” na Itália. De acordo com a testemunha, o grupo estaria envolvido em tráfico de seres humanos, contrabando de tabaco e ainda ajudava suspeitos de terrorismo na Europa a voltarem para a Tunísia.

O vice-premier da Itália e ministro do Interior, Matteo Salvini, comemorou a operação. “Traficantes e terroristas: voltem para casa”, disse o líder do partido nacionalista Liga Norte, em um post no Twitter.

Desde que assumiu, junto com o Movimento 5 Estrelas (M5S), o governo da Itália em 2018, Salvini tem aumentado o cerco contra os imigrantes e os barcos que ficam à deriva no Mar Mediterrâneo, alegando que eles facilitam a entrada de terroristas e o trabalho de traficantes de seres humanos. (com informações da ANSA)