Pela 3° vez e pela primeira em 60 anos, a tetracampeã Itália fica de fora da Copa do Mundo em 2018

Campeões em quatro torneios, a Itália estará fora da disputa pelo penta.

Uma perda para muitos, não só para os italianos que não conseguiram se recuperar e colocaram a Suécia no avião para a Rússia.

O jogo da repescagem entre Itália e o clube nórdico aconteceu nesta segunda-feira (13) e a La Nazionale não conseguiu recuperar do 1-0 da ida.

A partida terminou com um empate no 0-0 no estádio Giuseppe Meazza, em Milão.

A primeira vez que o time da Azzurra ficou de fora foi em 1930 e depois em 1958, desde então o clube italiano havia conquistado mais duas vitórias e algumas vice lideranças.

É a primeira vez que o campeonato não terá a presença de um time europeu que já venceu a Copa antes, desde 1978 com a ausência da Inglaterra nos campos.

Durante a partida decisiva o time de Ventura foi para cima e criou algumas oportunidades de marcar gol, todas sem sucesso, nem mesmo conseguiram estender o jogo para além dos 90 minutos.

Gianluigi Buffon, uma despedida triste para toda a Itália

Visivelmente arrasado e com lágrimas que sensibilizaram a quem assistisse a cena, Buffon declarou que não haverá uma outra tentativa para participar de uma sexta Copa.

O italianos que é considerado o melhor goleiro que a Itália já teve, não só pelo seu bom aproveitamento, mas por sua postura dentro e fora dos campos, estava desolado.

Buffon não é merecedor de um final tão inacreditável assim.

Ao final da partida, foi ele quem se dirigiu aos repórteres, mesmo mostrando não ter nenhuma condição de falar algo naquele momento.

“Não sinto por mim, mas por todo o futebol italiano. Nós falhamos. Lamento que meu último jogo coincida com a eliminação”, disse Buffon com lágrimas.

A partida

Talvez o técnico, Giampiero Ventura, não tenha percebido, mas jogar com 5 meio-campistas não foi a melhor escolha.

A partida contava com os três zagueiros, Barzagli, Bonucci e Chiellini, no ataque estava Immobile, porém o início da partida mostrava um time forte que pressionava a Suécia.

Não por muito tempo, no decorrer do jogo a Itália apresentou falta de controle, desorganização e passes sem qualidades.

A primeira chance de um gol, em uma partida que eles precisavam de pelo menos um, surgiu apenas aos 26 minutos do primeiro tempo.

Imomobile recebeu o passe de Jorginho que cruzou a bola, ela ultrapassou a pequena área, mas não havia ninguém ali para marcar o gol.

A tragédia

Para muitos, esse momento já assombrava as noites desde a Copa na África do Sul. A Itália não passou na primeira fase, em 2014, no Brasil, outro momento de tensão.

Um reflexo do futebol que vem acontecendo dentro do próprio país.

Falta de técnica nas equipes, distância na produtividade entre os clubes, muitos jogadores internacionais e pouco investimento em novas caras para a seleção italiana.

Apesar dos 40 anos de profissão será impossível não ler notícias cobrando e apontando os dedos para Ventura.

Sem dúvidas, ele e até mesmo o presidente da Federação não permanecerão em seus postos, após a perda de ontem.

Segue agora uma reestruturação de todo o cenário do futebol italiano, que pode ser dolorido.