As autoridades italianas apreenderam na Calábria, no sul do país, um carregamento de comprimidos sintéticos avaliado em 50 milhões de euros e destinado a milícias jihadistas do grupo Estado Islâmico (EI), informaram fontes oficiais nesta sexta-feira (3).

Tratou-se de um carregamento de “mais de 24 milhões de pílulas da chamada droga do combatente”, explicou em uma nota a seção antiterrorista do Ministério Público de Reggio Calabria.

A droga, uma substância opiácea sintética procedente da Índia, foi apreendida no porto de Gioia Tauro, na Calábria, no sul da Itália.

“A venda no mercado negro teria produzido cerca de 50 milhões de euros, uma vez que cada pastilha é vendida por cerca de dois euros no Norte de África e no Oriente Médio”, afirma o comunicado.

“De acordo com informações dos serviços de inteligência internacionais, o tráfico da droga Tramadol é administrado diretamente pelo grupo do Estado Islâmico para financiar as atividades terroristas planejadas pela organização na Líbia, na Síria e no Iraque”, ressalta a nota.

Tramadol, um analgésico, provoca excitação e aumenta a capacidade de resistência ao esforço físico e ao estresse.

A operação contou com a colaboração da americana DEA (Administration for Drug Control) e não se exclui o apoio da máfia calabresa, a “Ndrangheta”, no tráfico desta droga. (G1)