A Autoridade Garantidora da Concorrência e do Mercado (AGCM), órgão antitruste da Itália, abriu duas investigações separadas por práticas comerciais “incorretas” contra a Apple e a Samsung no país

Para a entidade, as duas empresas “têm uma política geral comercial voltada para explorar as carências de alguns componentes para reduzir o tempo de vida dos próprios produtos e induzir os consumidores a comparem novas versões”.

De acordo com a AGCM, os procedimentos foram abertos após reclamações de inúmeros consumidores e tem um foco semelhante a de processos na França sobre o caso a chamada “obsolescência programada”, ou seja, quando um aparelho eletrônico é feito para durar um determinado período de tempo.

Segundo a nota divulgada pelo Antitruste, foram propostos aos clientes “atualizações de softwares dos próprios telefones celulares sem informar as possíveis consequências da mesma atualização e sem fornecer informações suficientes para manter um nível de uso de tais dispositivos, promovidos e comprados por seus específicas e elevadas características tecnológicas”.

O presidente da União Nacional de Consumidores da Itália, Massimiliano Dona, comemorou o anúncio da investigação que dará “imediata clareza” sobre os procedimentos das empresas.

“Mas, isso não basta. Seria, de fato, de uma gravidade absurda reduzir propositalmente o funcionamento dos próprios produtos para induzir os consumidores a comprar novos. É preciso também que o Parlamento italiano faça sua parte, interferindo como na França e criando uma lei contra a obsolescência programada”, disse Dona em nota. (ANSA)