O local hospeda em sua cripta um museu sobre o tecido

A igreja do Santo Sudário, em Turim, na Itália, foi reaberta na semana passada depois de dois anos e sete meses fechada por conta de reformas e restaurações. A obra se tornou necessária depois dos danos causados pela infiltração de água nos afrescos de Piero Alzeri e Michele Antonio Milocco.

“A restauração dos afrescos representa não só uma importante intervenção pela proteção de um precioso bem histórico e artístico, mas também um ato de atenção e respeito por um dos símbolos, o Santo Sudário, nos quais a cidade se reconhece há séculos”, explicou a prefeita de Turim, Chiara Appendino.

A igreja exibe um museu sobre o Santo Sudário, tecido que a Santa Sé diz ter envolvido o corpo de Jesus Cristo após sua morte.