O atacante Gonzalo Higuaín soltou o verbo em entrevista ao jornal italiano “Gazetta dello Sport”. Dentre outros temas, o argentino abordou a saída da Juventus, na última janela europeia. Higuaín deixou claro que não tinha pedido para deixar o clube, e a transferência foi uma decisão da própria Velha Senhora

– Eu não escolhi sair. Eles (a Juve) queriam fazer muitas mudanças com a chegada de Cristiano Ronaldo. Por isso, me disseram que eu não poderia ficar e que estavam procurando uma solução. A melhor alternativa encontrada foi o Milan – disse.

De acordo com Higuaín, um dos motivos que fizeram o Milan ser a melhor opção foi a convicção que o clube tem um projeto de futuro. Os rossoneros tentam reencontrar o caminho dos títulos, após algumas temporadas de escassez, e creem que as conquistas podem acontecer já na atual temporada.

Agora, Higuaín brilha com a camisa do Milan — Foto: Daniele Mascolo/Reuters

– Os objetivos são levar o time de volta à Liga dos Campeões e vencer a Liga Europa e a Copa da Itália. Além disso, quero marcar o maior número de gols possíveis. O Milan é o segundo maior vencedor da Champions, então a história exige: sempre precisamos acreditar – garantiu o atacante, que balançou as redes seis vezes em sete jogos com a camisa rossonera.

Higuaín ainda aproveitou para elogiar o comandante rossonero, Gennaro Gattuso:

– Gattuso tem algo de diferente. Você olha e sente o quanto ele ama o futebol. Está tentando tirar o melhor de mim, e eu realmente aprecio quem faz isso comigo. A equipe está ao lado dele. É uma pessoa muito intensa, capaz de morrer por seus jogadores. Não há muitos treinadores como ele – afirmou.

O próximo compromisso de Higuaín, Gattuso e companhia será no domingo: o Milan vai encarar a rival Inter de Milão, pela nona rodada do Campeonato Italiano.

(GE)