O hacker é um estudante de matemática que afirma que gostaria de testar a vulnerabilidade do site

A Polizia Postale de Milão, na Itália, prendeu nesta terça-feira (6) o autor de um ataque hacker à plataforma Rousseau, usada pelo partido antissistema Movimento Cinco Estrelas (M5S) para tomar todas as suas decisões políticas.

O hacker de 22 anos, que não teve o nome revelado, se identificava na internet como “Evariste Galois”, é estudante universitário de Matemática e é natural de Pádua.

Ele foi o responsável pela ação no dia 2 de agosto e agora responderá pelos crimes de acesso abusivo a um sistema de informática. Além de ser preso, os agentes apreenderam seus computadores e equipamentos usados por ele.

Segundo as primeiras declarações do rapaz, ele fez o ataque para “testar a vulnerabilidade do sistema” e não tinha “objetivos políticos” em seu ato. De acordo com ele, isso será provado com uma análise da ação, já que ele atingiu “apenas a parte técnica” da plataforma do M5S, mas não “roubou” dados e informações contidos nela.

De acordo com fontes da Procuradoria de Milão, o jovem teria “crescido em uma boa família” e não teria, de fato, nenhuma relação com expoentes ou membros de partidos políticos italianos.

No entanto, não foi ele o responsável por outro ataque à Rousseau, também em agosto do ano passado. Os policiais ainda buscam pelo homem que usa a identificação “Rogue0”.

“Quero agradecer com o coração e o nome do inteiro Movimento Cinco Estrelas aos homens e mulheres da Polizia Postale de Milão e do Centro Nacional contra os Crimes de Informática que individualizaram a pessoa responsável pelo ataque hacker do último ano contra a nossa plataforma Rousseau”, disse o chefe político do partido, Luigi Di Maio.

Para ele, os agentes fizeram “um excepcional trabalho” que conseguiu “fechar essa página feia” da nossa história.

Plataforma Rousseau

Por ter uma composição diferente dos partidos tradicionais, o M5S usa uma plataforma online para tomar todas as suas decisões políticas – sejam em votações ou em acordos definidos como importantes para o partido.

Nele, os afiliados à sigla tem todos os seus dados de cadastro registrados. O local ainda abre a possibilidade de qualquer um dos membros do partido de propor medidas e leis que devem ser levadas pelos parlamentares para debate, seja na Itália ou no Parlamento Europeu, além arquivar documentos e regulamentos internos.

Qualquer pessoa, mediante cadastro, pode se inscrever no site – mas apenas os afiliados tem acesso a todas as funcionalidades. (ANSA)