A greve no sistema dos transportes tem afetado diversas cidades italianas, como a Roma

A greve teve início nesta sexta-feira (27), proclamada pelos sindicatos autônomos e Cobas.

A paralisação tinha previsão de 24h, porém alguns serviços se limitaram a 4h apenas, por causa do Ministério dos Transportes e Infraestrutura.

Os aeroportos terão operações reduzidas até as 14h locais (10h em Brasília).

Porém, de acordo com a Ansa, não houve nenhum cancelamento de voo ou qualquer complicação com passageiros no aeroporto de Fiumicino, em Roma.

Ainda de acordo com informações da Ansa, os trens e barcos poderão circular até às 13h locais.

Em Milão a paralisação deve terminar as 13h locais.

Mas, no aeroporto de Fiumicino, em Roma, não foi registrado ainda nenhum cancelamento de voo ou complicações para os passageiros.

Trens e barcos também prometem cruzar os braços até às 13h locais.

Na cidade de Turim o transporte ficará em greve em horários intercalados hoje. Em Milão, a paralisação está prevista para durar até 13h locais (9h de Brasília).

Até o momento, nenhuma paralisação em Nápoles está confirmada. E em Bolonha, Roma e Barias atividades de serviços públicos serão interrompidas na parte da manhã.

O motivo da paralisação é por causa das privatizações, desigualdades sociais, salariais, de gênero e econômicas, até em relação a imigrantes.