Maior companhia aérea da Itália foi colocada à venda

(ANSA) – O ministro do Trabalho e do Desenvolvimento Econômico da Itália, Luigi Di Maio, afirmou nesta quarta-feira (11) que ainda não se reuniu com representantes da companhia alemã Lufthansa e da britânica EasyJet para tratar da venda da Alitalia.

As negociações sobre o futuro da maior linha aérea italiana, que está sob intervenção do governo, foram interrompidas por causa das eleições de 4 de março e do período de transição, que só se encerrou em 1º de junho.

“Não tenho contatos diretos com esses sujeitos [Lufthansa e EasyJet], até porque estamos na fase de análises”, declarou Di Maio, que ainda não deu prazo para anunciar a oferta vencedora na disputa pela companhia.
“Devemos entender se a estamos vendendo para fazê-la funcionar ou para que alguém tenha algumas rotas a mais”, acrescentou. Atualmente, os acionistas da Alitalia são a holding Compagnia Aerea Italiana (CAI), com 51%, e o grupo árabe Etihad Airways, com 49%.