Novo primeiro-ministro pode agora dar início ao seu governo

(ANSA)

O primeiro-ministro da Itália, Giuseppe Conte, recebeu nesta quarta-feira (6) o voto de confiança da Câmara dos Deputados, com um placar de 350 a 236, além de 35 abstenções. Com isso, seu governo passa a operar plenamente, já que conta com o apoio do Parlamento.

O número garante uma maioria relativamente folgada para o premier na Câmara (34 votos a mais que o necessário), um dia após ter garantido o voto de confiança também no Senado, com um placar de 171 a 117 – o mínimo exigido era 161.

A proclamação do resultado na Câmara foi saudada por um longo aplauso e por coros de estádio por parte do Movimento 5 Estrelas (M5S) e da Liga, os dois partidos que escolheram Conte, um professor e jurista sem experiência política, para governar a oitava economia do mundo.

Seu programa de governo, escrito pelos líderes da Liga, Matteo Salvini, e do M5S, Luigi Di Maio, prevê uma grande desoneração fiscal e o aumento dos gastos sociais, em uma equação que causa preocupação na União Europeia, já que a Itália possui a segunda maior dívida do bloco (132% do PIB).

Além disso, M5S e Liga prometem deportar dezenas de milhares de imigrantes ilegais, buscar reformas dos regulamentos da UE e reaproximar Roma da Rússia. O primeiro compromisso internacional de Conte já será entre 8 e 9 de junho, na cúpula do G7 no Canadá.