Em 2019, prova começará em Bolonha e terminará em Verona

A organização do Giro d’Italia divulgou o percurso da edição de 2019 do torneio. A prova, que é uma das mais tradicionais do ciclismo mundial, terá início em Bolonha, em 11 de maio, e terminará no dia 2 de junho, em frente ao Coliseu de Verona. O pelotão terá três provas de contrarrelógio e cinco chegadas ao alto pelo caminho.

De acordo com o jornal “Gazzetta dello Sport”, a 102ª edição do torneio terá 3.518,5 quilômetros de extensão e contará com 21 etapas. O Cima Coppi (a montanha mais alta) será o Passo Gavia, a 2.618 metros acima do nível do mar, enquanto o Mortirolo será a Montagna Pantani desta edição. No total serão 46.500 metros de altitude acumulada.

A novidade desta edição é que a prova será realizada exclusivamente em território italiano, com apenas uma etapa fora do país, na República de San Marino – localizada no norte da Itália.

Além disso, a corrida passará pelos passos de Mortirolo e Gavia, ambas situadas nas zonas alpinas da Lombardia.

Homenagens

A edição de 2019 será marcada também pelas homenagens ao longo da prova. Entre elas, tributos ao aniversário de 500 anos da morte do gênio Leonardo Da Vinci, ao centenário do nascimento do ciclista Fausto Coppi, e ao 10º ano do terremoto de L’Aquila, em abril de 2009.

O jornalista Indro Montanelli, o compositor Gioacchino Rossini e o Padre Pio também serão homenageados ao longo da prova.

“O Giro d’Italia é uma vitrine global para a nossa cidade, devemos nos preparar para o melhor e oferecer aos milhares de fãs que vão para as ruas da cidade a melhor recepção”, disse Carlo Maria D’Alessandro, prefeito da cidade de Cassino, na região do Lazio, que receberá sexta etapa da competição, marcada para o dia 16 de maio.

Em 2018, a prova foi vencida pelo britânico Chris Froome, com o holandês Tom Dumoulin, campeão em 2017, em segundo. O colombiano Miguel Ángel López chegou em terceiro.