O primeiro-ministro da Itália, Paolo Gentiloni, usou o seu twitter pessoal para demonstrar solidariedade as vítimas e lamentar o atentado terrorista ocorrido nesta quinta-feira (17), em Barcelona, no norte da Espanha.

“Barcelona esplêndida e amiga debaixo de ataque. A Itália está ao lado das autoridades locais e espanholas. Meus pensamentos estão com as pessoas atingidas”, escreveu o premier em sua conta na rede social.

De acordo com as informações da Ansa Brasil, uma van branca atropelou dezenas de pessoas no calçadão de Las Ramblas, no centro de Barcelona e local turístico de várias lojas e quiosques comerciais.

Vítimas

A polícia confirmou que há um morto e 32 feridos, mas testemunhas e jornais espanhóis contabilizaram aos menos 13 vítimas e dezenas de feridos no local do ataque.

Fontes policiais informaram que o motorista jogou a van em “zigue-zague” para atingir o maior número possível de pedestres. O atentado ocorreu por volta das 17h-18h locais (12h-13h no horário de Brasília).

A região estava lotada de espanhóis e turistas no momento do atentado. A van percorreu cerca de 600 metros, da Praça Catalunha à Rambla de Canaletes, onde bateu em um quiosque.

Suspeitos

O motorista da van, um homem de cerca de 1,70m de altura que vestia uma camisa branca com listras azuis, fugiu logo após lançar o carro contra os pedestres e bater no quioste e está foragido. Outro suspeito, Driss Oukabir, foi preso em Manlleu, a 80 quilômetros da capital catalã, segundo o jornal local “El Periódico”.

Nenhum grupo terrorista assumiu a autoria do atentado até o momento. Nas redes sociais, simpatizantes do Estado Islâmico celebram o ataque com fotos das vítimas, orações e mensagens de ódio, mas não houve pronunciamento da cúpula do grupo. Apesar disso, a prática de atropelamentos em massa segue protocolos divulgados e ensinados pelo Estado Islâmico a seus jihadistas. (ANSA)