Apuração para eleições de 4 de março ainda não foi concluída

Cidadãos ítalo-brasileiros, amparados por um escritório de advocacia de São Paulo, iniciaram uma “força-tarefa” para investigar fraudes no voto no exterior para as eleições legislativas de 4 de março.

Nas últimas semanas, circularam diversas denúncias de irregularidades no envio das cédulas para os italianos expatriados, no processo de votação e até na apuração, que é realizada nos arredores de Roma.

O processo é comandado por Diego Mezzogiorno, conselheiro da Câmara Italiana de Comércio e Indústria de Santa Catarina. “O objetivo é centralizar todas as reclamações e denúncias realizadas até aqui e as novas que forem surgindo”, disse ele à revista “Insieme”.

O objetivo seria “anular o processo eleitoral” e “propor um novo modelo de eleição” no exterior. Passadas duas semanas das eleições legislativas, a apuração do voto dos italianos expatriados ainda não foi concluída por causa das denúncias de irregularidades. (ANSA)