O Fundo Monetário Internacional (FMI) confirmou nesta segunda-feira (13) sua previsão de crescimento para a economia italiana em 1,5% em 2017. A informação consta no “Regional Economic Outlook” para a Europa.

Para os dois próximos anos, a entidade aponta que o Produto Interno Bruto (PIB) italiano crescerá 1,1% em 2018 e 0,9% em 2019, confirmando ainda a queda no desemprego para 11,4% neste ano.

O FMI destacou que a retoma econômica na União Europeia está se “reforçando e ampliando”, contribuindo de “maneira significativa” para o crescimento global.

“Os riscos estão mais balanceados, mas continuam a ser as quedas no médio prazo”, diz o documento convidando os governos locais a aproveitarem o momento para reformar seu setor fiscal e reforçar a capacidade de suas economias enfrentarem eventuais “choques”.

Em números, o documento regional confirma as previsões do “World Economic Outlook”, divulgado em outubro, e que apontam um crescimento de 2,4% no PIB europeu para 2017 – contra o 1,7% registrado em 2016. Para 2018, a alta econômica deverá ser de 2,1%.

O documento ainda sugere para os italianos, assim como para a Bulgária, Grécia, Hungria, Romênia e Ucrânia, reforçarem seu combate à corrupção. “A reforma judicial e o controle da corrupção são considerados prioridades em diversos países europeus”, diz ainda a nota. (ANSA)