A Fifa anunciou na segunda-feira (03) que não aplicará nenhuma punição à Inter de Milão por supostamente tentar contratar o meio-campista croata Luka Modric sem consultar o atual clube do atleta, o Real Madrid .

A instituição enviou uma carta aos dois clubes para notificá-los sobre a decisão, em que afirma que os italianos não violaram o artigo 18 do regulamento, que prevê que clubes só podem negociar com atletas que estejam a seis meses do fim dos contratos atuais. O vínculo de Modric com a equipe espanhola termina em 2020 e prevê multa rescisória de 750 milhões de euros (R$ 3 bilhões e 225 milhões).

A Fifa afirma ter colhido depoimentos dos clubes e do próprio jogador, que decidiu permanecer na atual equipe. A Inter teria oferecido ao croata um salário superior ao pago pelos espanhóis, além de um contrato de seis anos que preveria uma saída para o futebol chinês quando terminasse. O time de Milão alega que jamais negociou com Modric.

Para manter o jogador, o Real Madrid ofereceu um salário de 11 milhões de euros por temporada, o que o coloca no mesmo patamar de estrelas como o zagueiro espanhol Sergio Ramos e o meia galês Gareth Bale.

Agente de CR7 critica prêmio para Modric

Jorge Mendes, empresário de Cristiano Ronaldo, criticou a escolha da Uefa por Modric , que venceu o português e Mohamed Salah e levou o prêmio de melhor jogador da última temporada europeia.

“Futebol se joga dentro de campo e ali Cristiano venceu. Ele marcou 15 gols, carregou o Real Madrid nas costas e venceu a Liga dos Campeões de novo. A decisão foi ridícula e vergonhosa. Ronaldo é o melhor em sua posição”, disse Mendes em entrevista ao ‘Record’, de Portugal.

Modric foi eleito o melhor jogador da Europa na última temporada pela UEFA, além de ter conquistado o vice-campeonato e o prêmio de melhor jogador da Copa do Mundo de 2018.

(iG Esporte)