O atual diretor esportivo da Fórmula 1, Ross Brawn, elogiou a evolução da equipe italiana nos últimos dois anos, mas indica que pressão para cessar jejum de títulos atrapalhou na luta com a Mercedes

De 1997 a 2006, o inglês Ross Brawn foi comandante do corpo técnico da Ferrari. Neste período, a equipe italiana foi campeã de construtores de 1999 a 2004 e de pilotos de 2000 a 2004 com Michael Schumacher. Por isso, o agora diretor esportivo da Fórmula 1 entende bem de Ferrari e deu seu palpite sobre o momento da equipe, que não vence um campeonato de pilotos desde 2007 e de equipes desde 2008.

Segundo ele, a Ferrari mostra boa evolução, no entanto, os dirigentes e o alemão Sebastian Vettel não têm reagido bem à pressão pelo fim do jejum de títulos.

– Ferrari e Vettel agora têm que começar de novo. E eles só podem fazer isso se entenderem o que deu errado. Eles devem então melhorar nessas áreas sem pânico ou reações automáticas – disse ele à revista “Speed ​​Week”.

Ross Brawn ainda apontou que a Ferrari tem feito um excelente trabalho na área técnica. Afinal, depois de a Mercedes dominar amplamente os primeiros anos da era dos motores híbridos (que começou em 2014), nos últimos dois anos, especialmente em 2018, a escuderia de Maranello apresentou carros de desempenho bem melhor.

– Em apenas duas temporadas, a Ferrari mais uma vez se tornou uma candidata a títulos. Isso foi algo que parecia difícil de imaginar no início desta era híbrida, dada a vantagem de potência da Mercedes, sem dúvida. Agora a Ferrari tem de seguir em frente.

A Ferrari ainda tem remotas possibilidades de ser campeã de construtores, mas para isso a Mercedes pode somar apenas 30 pontos nas duas etapas finais da temporada (Brasil e Abu Dhabi), mesmo que a equipe italiana faça dobradinha em ambas.

(com informações do GE)