A FCA confirmou a venda da fabricante italiana de autopeças Magneti Marelli para a japonesa Calsonic Kansei, controlada pelo fundo de investimento norte-americano KKR

O negócio foi o primeiro tocado pelo novo CEO do grupo, Mike Manley, que assumiu a chefia da empresa em julho após a morte súbita do então chefe Sergio Marchionne. Ao todo foram US$ 7,1 bilhões envolvidos na negociação, cerca de R$ 27 bilhões numa conversão direta.

Foi formada então a Magneti Marelli CK Holdings, que deverá cortar custos por meio de sinergias e expandir a base de clientes à medida que os fabricantes de componentes tentam acompanhar a mudança das montadoras. Todas as atenções serão voltadas questões de vanguarda como condução autônoma, carros conectados e veículos elétricos.

“Essa combinação com a Calsonic Kansei surgiu como uma oportunidade ideal para acelerar o crescimento futuro da Magneti Marelli”, disse Manley.

O negócio foi considerado bastante positivo para a FCA, tanto que as ações subiram 5,2% após o anúncio. A expectativa é que o montante arrecadado impulsione a posição de caixa líquido do grupo.