Estimativa foi revelada em relatório do Istat nesta quinta-feira (3)

(ANSA)

A Itália continua sendo um país cada vez mais antigo. Isto é o que diz o relatório divulgado nesta quinta-feira (3) pelo Instituto Nacional de Estatísticas(Istat), no qual afirma que a expectativa de vida no país aumentará em mais de cinco anos para ambos os sexos até 2065.

Segundo os dados, até 2016, os homens e mulheres tinham expectativa de vida de 80,6 e 85 anos respectivamente, mas, em 2065, espera-se que esse número atinja 86,1 (homens) e 90,2 anos (mulheres).

Além disso, o relatório afirma que os nascimentos futuros não serão suficientes para compensar as mortes. De acordo com a previsão, o saldo total sairá de -200 mil, passando por -300 mil até chegar em -400 mil daqui a 47 anos.

Nesse período, a população italiana vai chegar a 54,1 milhões, com uma queda, comparada a 2017, de 6,5 milhões. No mesmo documento, estima-se que em 2045, o total de pessoas residentes no país será igual a 59 milhões, uma redução de 1,6 milhões em relação ao ano passado. O Istat ainda informa que, no mesmo ano, espera-se que a fertilidade aumente de 1,34 para 1,59 filhos. No entanto, o número poderá oscilar entre 1,25 e 1,93 até 2065.