O ex-ativista italiano Cesare Battisti foi detido nesta quarta-feira (4) na fronteira do Brasil com Bolívia, na cidade de Corumbá, no Mato Grosso do Sul. Battisti teria sido detido pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) em uma blitz sob uma suposta tentativa de evasão de divisas.

Segundo as autoridades brasileiras, o italiano iria tentar se refugiar na Bolívia, uma vez que o governo italiano pediu ao brasileiro que anule seu refúgio no país.

De acordo com o jornal “O Globo”, o advogado de Battisti, Igor Santana, desconhece sobre a sua prisão.

Motivo da fuga

Na última semana, a defesa do italiano entrou com uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF) para pedir um habeas corpus e evitar uma extradição para a Itália.

O pedido surgiu dias após a notícia de que o governo italiano está negociando um novo pedido para extraditar o ex-ativista.

A prisão

Battisti foi condenado à prisão perpétua no país europeu pelo assassinato de quatro pessoas na década de 1970. Ele fugiu para o Brasil e foi preso em 2007.

O STF chegou a autorizar a extradição do Italiano, mas o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva permitiu que ele ficasse morando no país. Não há prazo para a definição do caso na Justiça.