Um dos alvos principais do protesto foi a rede de restaurantes norte-americana McDonald’s

Estudantes foram às ruas da Itália em protesto a alternância escola-trabalho.

O objetivo do protesto, segundo a Ansa, era pelo direito ao estudo e reivindicando mais recursos para a educação pública.

Além das chamadas “políticas predatórias do governo, os estudantes também atacaram a rede de fast food McDonald’s.

De acordo com a Ansa, a rede emprega estuantes na Itália, como estagiários através de um convênio público.

O protesto aconteceu em diferentes locais, em Milão, por exemplo, os jovens atiraram no estabelecimento da praça Sant’Estorgio ovos e tomates.

Em Palermo, eles entraram em confronto contra os policiais. Segundo a Ansa, essa manifestação contrária ao McDonald’s se dá pela forma de trabalho da rede, identificada como “exploração” pelos estudantes.

Um dos cartazes dizia “Somos alunos, não somos operários”.

Porém a manifestação tem como o motivo central a criação de um projeto chamado “Alternância escola-trabalho”.

Este projeto foi criado pelo Ministério da Educação e basicamente é uma iniciativa para que estudantes possam trabalhar durante um momento da sua formação, colocando seus conhecimentos em prática.

Sendo assim empresas públicas e privadas podem oferecer vagas a jovens entre 15 e 18 anos.