O envenenamento que causou a morte de um cão de resgate designado a encontrar sobreviventes em um terremoto na Itália está provocando clamor por penas mais duras contra esse tipo de ataque, comum no país

Fabiano Ettore, o dono de Kaos, nome do pastor alemão morto, declarou, nesse último domingo (29), que o cachorro foi envenenado em seu próprio jardim. A polícia está investigando a morte do cão.

Kaos foi designado para auxiliar nas buscas de sobreviventes e cadáveres em Amatrice, cidade no centro da Itália destruída por um terremoto em 2016. O cão também ajudou em outras operações para encontrar pessoas desaparecidas.

A deputada Michela Brambilla, conhecida pela defesa dos direitos do animais, disse à agência Associated Press que espera que a morte de Kaos possa acelerar a aprovação de uma lei sobre a violência contra os animais, proposta por ela. “A morte de Kaos tocou a consciência do povo italiano”, declarou.

O Conselho de Ministros, órgão máximo do Poder Executivo na Itália, também participou do clamor pelo fim dos envenenamentos.

(Estadão Conteúdo)