“É mais importante o que eles fazem do que o que dizem”, afirmou

(ANSA)

O embaixador da União Europeia no Brasil, João Gomes Cravinho, afirmou nesta terça-feira (15) que não teme ameaças a Bruxelas por parte do futuro governo eurocético que deve tomar posse na Itália, país fundador do bloco.

O diplomata participou de um evento pelo Dia da Europa, comemorado em 9 de maio, na Câmara Brasil-Alemanha de São Paulo e minimizou os efeitos da ascensão da ultranacionalista Liga e do antissistema Movimento 5 Estrelas (M5S) nas últimas eleições italianas.

“O projeto europeu vai avançar. É mais importante ver o que eles fazem do que o que eles dizem. Essa é a questão fundamental”, declarou Cravinho. Os dois partidos estão na reta final de negociações para dar um novo governo à Itália e devem levar a Roma uma postura mais hostil a Bruxelas.

“São dois partidos populistas e que não têm experiência de governo. Vamos ver como será quando eles forem confrontados com a realidade”, disse o embaixador da UE no Brasil.

O site “Huffington Post” publicou um rascunho do contrato de governo entre M5S e Liga que incluía o objetivo de alcançar “procedimentos específicos que permitam a cada Estado recuperar a própria soberania monetária”.

No entanto, por meio de uma nota conjunta, os dois partidos disseram que o texto era uma versão antiga, já “amplamente modificada”, e que o euro “não será colocado em discussão”.

Tanto a Liga quanto o M5S defendiam a saída da Itália da zona da moeda comum, mas mudaram de ideia nas últimas eleições – o líder ultranacionalista Matteo Salvini chegou até a se definir como “europeísta”.