Celebrando a missa da Epifania, quando a Igreja Católica celebra a visita dos Reis Magos ao menino Jesus, o papa Francisco fez uma crítica neste sábado (6), as “estrelas cadentes” do sucesso e do dinheiro que enganam o ser humano

“Há estrelas deslumbrantes, que suscitam emoções fortes, mas não indicam o caminho. Tal é o sucesso, o dinheiro, a carreira, as honras, os prazeres procurados como objetivo da existência, que não passam de meteoritos: brilham por um pouco, mas depressa caem e o seu esplendor desaparece. São estrelas cadentes, que, em vez de orientar, despistam”, afirmou o Pontífice.

Na homilia da celebração, Francisco explicou que as três figuras mostram a necessidade de “olhar para o céu”.

“Na vida, muitas vezes, nos contentamos com o olhar para a terra: basta a saúde, algum dinheiro e um pouco de divertimento. Mas me pergunto: Nós sabemos ainda levantar os olhos para o céu? Sabemos sonhar, anelar por Deus, esperar a sua novidade, ou nos deixamos levar pela vida como um ramo seco pelo vento?”, questionou.

O líder da Igreja Católica ainda ressaltou que os Magos mostram que as pessoas precisam “manter o olhar no alto” para se aproximar de Jesus cuja estrela “nem sempre é resplandecente, mas está sempre presente”

“Jesus se deixa encontrar por quem o busca, mas para buscá-lo é preciso se mover e não ficar à espera; arriscar. Não ficar parados; avançar”, apelou Jorge Mario Bergoglio.

O Papa ainda considerou que esta decisão de seguir Jesus “não é um polido protocolo” mas “um êxodo a viver”. “Para encontrar Jesus, é preciso perder o medo de ir a jogo, a satisfação do caminho andado, a preguiça de não pedir mais nada à vida”, acrescentou.

Durante a missa, Francisco ainda fez uma alusão sobre os presentes entregues pelos Reis Magos ao menino Jesus e pediu para os fieis oferecerem “cuidados a doentes, dedicação de tempo a uma pessoa difícil, ajuda a alguém que não nos inspira, perdão a quem nos ofendeu”.

“Dar gratuitamente, por amor ao Senhor, sem esperar nada em troca. Isto é o sinal certo de ter encontrado Jesus”, finalizou o Papa.