Eliminada da Liga dos Campeões nesta quarta-feira, a Roma caiu lutando. Venceu o Liverpool por 4 a 2 no Estádio Olímpico de Roma, mas não avançou porque perdeu o primeiro jogo por 5 a 2

Na saída de campo, o zagueiro Fazio pediu para que a equipe levantasse a cabeça, mas lamentou bastante a atuação da arbitragem comandada pelo esloveno Damir Skomina.

Fazio citou principalmente “dois pênaltis incríveis” não marcados a favor do time italiano, referindo-se provavelmente ao lance de Dzeko aos três minutos (o árbitro marcou impedimento) e de El Shaarawy aos 17 (a bola explodiu na mão de Arnold), ambos no segundo tempo.

– Isso representa nosso crescimento contínuo, temos que atingir esse nível na próxima temporada e tentar construir isso novamente – declarou o jogador.

– Demos sequência ao que fizemos até aqui e da maneira que fizemos, jogando um bom futebol. Sobre hoje, foi uma pena, especialmente com dois pênaltis incríveis não marcador ao nosso favor – completou.

Fazio também reclamou dos três minutos de acréscimos dados pelo árbitro – a Roma só fez o quarto gol, com pênalti cobrado por Nainggolan, aos 48 minutos.

– Além disso, o árbitro só deu tRês minutos de acréscimos. Mas temos que pensar positivo, pegar tudo de bom que fizemos apesar dos dois pênaltis, levantar nossas cabeças e continuar – finalizou.

Presidente: “Isso foi uma piada”

Presidente da Roma, James Pallotta falou com a imprensa na zona mista do Estádio Olímpico e engrossou o discurso de revolta contra a arbitragem. Segundo ele, a atuação do árbitro esloveno “foi uma piada”.

– É absolutamente claro que a Liga dos Campeões precisa do VAR, porque você não pode deixar coisas assim acontecer. Vocês todos podem ver. Dzeko não estava impedido, foi derrubado na área. Aos 20 minutos, teve uma mão na bola óbvia para todos no mundo, exceto para quem estava no campo. Aos 22, Schick foi derrubado na área – se queixou o cartola.

– Eu sei que é difícil para o árbitro, mas é realmente vergonhoso quando perdemos no agregado dessa maneira. Aliás, deveria ser cartão vermelho (para o Arnold), então seríamos 11 contra 10 desde os 20 minutos – encerrou ele. (GE)