Derrotado nas eleições de 4 de março, o ex-primeiro-ministro da Itália Matteo Renzi afirmou nesta quinta-feira (24) que os populistas são o novo “establishment” político do país

Em sua newsletter, o líder de centro-esquerda prometeu fazer uma oposição “dura e rigorosa” contra o governo do antissistema Movimento 5 Estrelas (M5S) e da ultranacionalista Liga, mas de forma “civil e respeitosa”.

“Agora eles se tornam o poder, eles se tornam o establishment, eles se tornam a casta. Não têm mais álibis, não têm mais desculpas, não têm mais ninguém para culpar. Terminou o tempo da gritaria, é hora de governar. Serão capazes? Boa sorte a todos nós”, ironizou Renzi.

O ex-primeiro-ministro teve um governo bastante popular entre 2014 e 2016, mas entrou em derrocada depois de sair do poder e conduziu o Partido Democrático (PD) ao pior resultado eleitoral de sua história – a sigla tem agora menos de 20% dos assentos no Parlamento.

Após as eleições, Renzi abdicou da liderança do PD, mas continua sendo seu principal expoente político, embora enfrente resistência de alas mais à esquerda. O ex-premier também capitaneou os grupos contrários a uma aliança de governo com o M5S.

“Devemos pensar em construir uma oposição digna deste nome e preparar uma alternativa caso eles falhem, quando eles falharem.

Nos preparemos para o futuro, que chegará antes do previsto, estou certo disso”, profetizou Renzi.

(Agência ANSA)