Embora tenham encabeçado listas para Senado e Câmara, candidatos não se elegeram

DA REDAÇÃO

A contagem dos votos da eleição parlamentar italiana, realizada em 4 de março, foi, enfim, concluída. Do Brasil, foram eleitos para a Câmara Luis Roberto Lorenzato (Lega Nord) e Fausto Longo (PD), ambos, porém, longe de serem os mais votados pelos cerca de 100 eleitores ítalo-brasileiros que preencheram as cédulas eleitorais enviadas pelos consulados.

Para o Senado, o mais votado foi o ex-deputado Fabio Porta (PD), com 20.587 votos. Atrás dele, com cerca de 5 mil votos a menos, Luis Pastore (Lega Nord), que conquistou 15.789 votos. Mais distante ainda ficaram, na ordem, Helena Montanarini (Civica Popolare), com 10.686 votos e Luciana Laspro (Maie), com 9.768 votos.

As vagas na Câmara foram disputadas voto a voto. A mais votada foi Renata Bueno (Civica Popolare), com 15.602 votos. Em seguida, aparecem na lista Luis Molossi (Maie), com 13.158 votos; Luis Roberto Lorenzato (Lega Nord), com 12.100 votos; Fausto Longo (PD) com 9.431 votos; Walter Petruzziello (Maie) com 7.951 votos e, por fim, Fabio Vicenzi (PD), com 6.510 votos.