Partido voltou ao conselho de Vale de Aosta depois de 20 anos

(ANSA)

Às vésperas de chegar ao governo na Itália, o partido ultranacionalista Liga segue colecionando bons resultados em eleições regionais pelo país.

Após ter conquistado Friuli Veneza Giulia, no nordeste italiano, a legenda de Matteo Salvini teve 17% dos votos em Vale de Aosta, no extremo-norte, e elegeu sete dos 35 membros de seu conselho regional.

A Liga não foi o partido mais votado na região setentrional, porém volta a ter voz em seu poder Legislativo depois de 20 anos de ausência. A primeira força no Vale de Aosta continua sendo a Union Valdôtaine, legenda de centro e autonomista que representa a minoria linguística francesa da região, com 19% dos votos.

No entanto, essa porcentagem lhe garantiu as mesmas sete cadeiras da Liga. Em 2013, o partido autonomista obtivera 33,4% da preferência, mas escândalos de corrupção derrubaram sua popularidade. O antissistema Movimento 5 Estrelas (M5S), que governará a Itália em aliança com a Liga, elegeu quatro representantes (10,44% dos votos).

Por sua vez, o Partido Democrático (PD), de centro-esquerda, segue em derrocada e, com 5,4% da preferência, não terá nenhum membro no conselho regional. O futuro governador sairá da construção de uma maioria no Legislativo do Vale de Aosta, já que ninguém tem os números para governar a região sozinho.

Esse modelo pode beneficiar a Union Valdôtaine, que buscará o apoio de outras siglas autonomistas, tanto à esquerda quanto à direita.