No Brasil, ministro italiano se encontrará com Temer em Brasília e Doria em São Paulo

DA REDAÇÃO

O ministro italiano de Affari Esteri e della Cooperazione Internazionale (de Negócios Estrangeiros e Cooperação Internacional), Angelino Alfano, inicia hoje uma missão na Colômbia e no Brasil, que se estenderá até o dia 24. Na agenda, eleições italianas, voto italiano no exterior, acordos bilaterais e crise venezuelana.

Em Bogotá, primeira parada de Alfano, o ministro formalizará o apoio da Itália à recuperação da Colômbia após os anos de combate à guerrilha e aos narcotraficantes. Alfano também colocará na pauta do encontro com as autoridades locais acordos bilaterais, sobretudo na economia.

O ministro italiano sentará à mesa com o presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, e o atual ministro colombiano da Energia Germán Arce. Conversarão sobre negócios, evidentemente, mas também sobre o cenário político na América do Sul, que tem como protagonista a grave crise na Venezuela, cujo presidente Nicolás Maduro está politicamente isolado pela comunidade latino-americana e que vem sofrendo com uma migração em massa da população para países com os quais tem fronteira, sobretudo os dois a serem visitados por Alfano.

No Brasil, segundo informações do ministério italiano, Alfano conversará sobre as relações bilaterais entre os dois países, mas também sobre a crise venezuelana. Ele será recebido em São Paulo pelo prefeito João Doria Junior e em Brasília pelo presidente Michel Temer e os ministros Aloysio Nunes Ferreira Filho (Relações Exteriores), Torquato Jardim (Justiça), Henrique Meirelles (Economia) e Raul Jungmann (Defesa).

Alfano irá ainda a Belo Horizonte para inaugurar a nova sede do consulado da Itália, na presença dos governadores Fernando Pimentel (Minas Gerais) e Luiz Fernando Pezão (Rio de Janeiro).