O presidente-executivo da rede italiana de empórios gastronômicos Eataly, Andrea Guerra, afirmou nesta terça-feira (5) que está “tudo decidido” para a abertura de capital da empresa, prevista para ocorrer até o primeiro semestre de 2019.

Segundo ele, não resta mais “nenhuma passagem” na burocracia interna para permitir a realização da oferta pública de ações (IPO, na sigla em inglês), aprovada pelo conselho de administração no fim de outubro.

A ideia da companhia é oferecer ao mercado de 30% a 35% de suas ações, provavelmente na Bolsa de Valores de Milão, mas Nova York não está descartada. “Será entre 2018 e 2019, provavelmente na Itália. Mas ainda não nomeamos consultorias nem bancos. O percurso é longo”, explicou Guerra.

Em outubro passado, o fundador do Eataly, Oscar Farinetti, havia dito que preferia ver as ações da rede nas “mãos de famílias italianas, não dos grandes bancos”. A cadeia gastronômica foi fundada em 2003, no Piemonte, e hoje possui lojas em países como Estados Unidos, Arábia Saudita, Japão, Dinamarca e Alemanha.

No Brasil, sua única unidade fica na zona sul de São Paulo. (ANSA)