Em seu último dia no Belpaese o prefeito de São Paulo assinou um plano de parceria com Veneza

A parceria que Doria busca é para uma maior cooperação cultural e artística entre as duas cidades.

O tucano anunciou ao lado de Luigi Brugnaro, prefeito de Veneza, a intenção de estimular o intercâmbio entre as Bienais das duas cidades.

Outras propostas são a de levar sambistas para representar o carnaval, além de aumentar a presença de filmes brasileiros no Festival de Cinema de Veneza, segundo a Ansa.

O prefeito foi aplaudido e afirmou que a parceria se estende a ações com instituições como o Teatro Municipal de São Paulo.

“Nós vamos ampliar a participação do Brasil na Bienal de Veneza de 2019, tratando com a fundação Bienal de São Paulo sobre a participação de Veneza na Bienal de 2020”, disse o tucano.

“Também vamos avançar os programas na área de cinema. A SPCine é uma instituição importante do eqstado de São Paulo, que é hoje o maior produtor de cinema do país. E a SPCine vai avançar em oportunidades com o Festival de Veneza e também bilaterais. De acordo com ele, a presença brasileira é muito pequena e acredito que podemos ampliá-la”.

Doria também falou sobre a ideia de levar parte de uma escola de samba paulistana a Veneza, como sugestão de Brugnaro.

“Não será um grande grupo, nem desfile, pois não há espaço nas ruas de Veneza. Apenas uma apresentação de alegorias, fantasias e da música do carnaval brasileiro, no caso, o de São Paulo”.

De acordo com a Ansa, em novembro o prefeito de Veneza estará em São Paulo para continuar com  as negociações.

Doria finalizou sua viagem à Itália neste sábado (14) após negociações também em Milão com possíveis interessados em seu plano de privatização.