Premier falou sobre “conflitos de interesse” e promessas do governo

(ANSA)

Após receber o voto de confiança ontem (5) no Senado com 171 aprovações, o primeiro-ministro da Itália, Giuseppe Conte, enfrentou hoje a Câmara dos Deputados. O discurso de Conte, várias vezes aplaudido pelos deputados, mas também interrompido por um bate-boca, foi transmitido ao vivo pela televisão italiana.

Conte apresentou suas propostas de governo, assim como tinha feito ao Senado, mas aproveitou para rebater as críticas do pronunciamento de ontem. Ele destacou que pretende investir em infraestrutura, principalmente na região sul da Itália, além de encabeçar um governo que leve justiça aos cidadãos, com paridade de oportunidades.

“Todos os cidadãos devem ser tratados da mesma maneira. O sistema deve ser correto”, argumentou. O premier também prometeu que irá impedir qualquer “conflito de interesse”, frase que deu origem a uma confusão no plenário.

“Todo mundo tem seu conflito de interesse”, disse Conte, que imediatamente começou a ser interrompido por deputados da oposição.

“Não acuso ninguém, mas o [conflito] existe em todos os níveis.

Enfrentaremos isso o mais rapidamente”, completou Conte, que foi interrompido por representantes do Partido Democrático (PD), como Roberto Giachetti e Emanuele Fiano. Mas, em alguns momentos, Conte usou tom de união. “Não existe maioria nem oposição no combate à máfia e aos poderes criminosos. Nesse ponto, certamente, estaremos de acordo”, disse.

Rebatendo as críticas de que algumas das propostas são populistas, como a criação da renda mínima de cidadania, Conte afirmou que “não é uma medida assistencial, pois foi concebida como um apoio à reinserção no mercado de trabalho”.

Conte também falou sobre o meio ambiente e garantiu que manterá uma gestão consciente. “A economia ‘verde’ não é só um slogan para nós, mas o futuro para os nossos filhos. Faremos de tudo para orientar o nosso país nessa direção”.

Ele também pediu que o governo, incluindo o Parlamento, tenha um “projeto de futuro”, com metas para “inovação tecnológica de sociedade e de empresas atentas ao impacto das iniciativas econômicas.

Em relação à diplomacia do novo governo, formado pelo nacionalista Liga Norte e o antissistema Movimento 5 Estrelas (M5S), Conte afirmou que na próxima reunião do G7, “a primeira posição da Itália será se fazer conhecer. A segunda, ser respeitada”.

Além do bate-boca, a sessão na Câmara foi marcada por outra polêmica. O líder da Liga Norte, Matteo Salvini, deixou a sala no meio do pronunciamento do premier.

Salvini estava sentado à esquerda de Conte, mas foi embora aos 20 minutos do discurso. Outras pessoas que estavam sentadas próximas mudaram de cadeira para não deixarem o posto ao lado de Conte vago.