Encontro termina nesta quarta-feira (31), em Roma

O Ministério das Relações Exteriores da Itália realizou entre esta terça (30) e quarta-feira (31) uma conferência dos cônsules do país pelo mundo.

“Essa reunião é a primeira em 16 anos, e agora os italianos no exterior cresceram enormemente”, disse Luigi Maria Vignali, diretor-geral da Farnesina para os italianos que vivem fora das fronteiras do país.

No período de 2012 a 2017, o número de expatriados cresceu de 4,6 milhões para 5,6 milhões. Um aumento de quase 20%, o que eleva também a demanda por serviços consulares. A quantidade de passaportes emitidos, por exemplo, cresceu de 295.391 em 2016 para 344.101 (+16,4%) em 2017.
O objetivo do encontro é justamente debater os desafios impostos por essa mudança demográfica. “Havia a necessidade de se fazer um balanço com a nova visão dos serviços consulares. Queremos aproximar os serviços do consulado dos cidadãos, dar a eles uma informação cada vez mais correta, e para isso é necessário buscar simplicidade, desburocratização e digitalização”, acrescentou Vignali.

Outro desafio do Ministério das Relações Exteriores é motivar o pessoal consular. “Queremos que nossos cônsules estejam realmente orgulhosos de servir no exterior”, disse. A conferência terá sessões plenárias sobre três temas principais: inovação, comunicação e motivação.

Durante a manhã desta terça, os participantes foram recebidos pelo presidente da República, Sergio Mattarella, que agradeceu aos cônsules por desenvolverem uma “atividade complexa e delicada” com “escassa disponibilidade de recursos”.

“Nós precisamos lidar com o presente e com perguntas emergindo dos novos fenômenos de emigração da Itália, que alguns preferem definir com a expressão “nova mobilidade”, afirmou Mattarella.

“Representar as instituições do Estado, em comunidades muitas vezes remotas e distantes, mas sempre atentas à sua identidade, sempre atentas para manter contato com o país de origem, e com capacidade de integração e proposta nas diferentes empresas em que operam”, acrescentou.

O senador Ricardo Merlo, durante o discurso que abriu o trabalho da Conferência, disse “trabalhamos para melhorar os serviços consulares, o que significa melhorar a qualidade de vida dos italianos no mundo”.