Um dos principais empreendedores do RS, empresário morreu após complicações cirúrgicas

DA REDAÇÃO

Morreu na noite deste sábado (3), aos 88 anos, o empresário ítalo-brasileiro Raul Anselmo Randon, como informa o Jornal do Comércio, de Porto Alegre. Fundador das Empresas Randon, ele estava internado em São Paulo, no Hospital Albert Einstein, desde dezembro do ano passado, quando passou por cirurgia no fêmur. No sábado sofreu uma parada cardíaca.

Em notas, diversas entidades lamentaram a morte de Randon. “Com Raul Randon, não apenas Caxias do Sul e a Serra Gaúcha, mas os empreendedores de todo o Brasil perdem um líder de inovação, garra, criatividade, obstinação e uma referência em ética e devoção ao trabalho”, declarou o presidente do Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás), Jaime Lorandi. Já a Câmara Municipal de Caxias do Sul emitiu uma nota de pesar pelo falecimento de quem classificou como “um dos caxienses mais ilustres de sua história”.

Ele deixa a mulher, Nilva, os filhos David, Alexandre, Roseli, Maurien e Daniel, além de 10 netos e um bisneto.

O corpo do empresário será velado em Caxias do Sul, sede da empresa, a partir das 16h deste domingo, ainda sem local definido, e cremado amanhã (5).

Nascido em Santa Catarina, no município de Rio Bonito, hoje Tangará, o empresário deixa como legado a marca das Empresas Randon, conglomerado de nove empresas focadas na produção de veículos, equipamentos e componentes automotivos. Atualmente, presidia o Conselho de Administração da companhia. Também presidia o Grupo Rasip, com atuação no agronegócio.

Além do Grupo Randon, ele criou o Parmigiano do Brasil, eleito várias vezes o melhor queijo do Brasil, e uma renomada vinícola. Foi Randon quem trouxe mestre queijeiro da Itália responsável pelo Parmigiano e outros queijos produzidos no sul do país, admirados em todo o mercado.